10 de fevereiro de 2018

2077 – 10 SEGUNDOS PARA O FUTURO

Com esta série de 4 documentários sobre o futuro da Humanidade, a RTP lança um desafio: onde e como vamos estar daqui a 60 anos? Que inquietação permanente é esta? Onde queremos chegar e como? Porquê? De que forma os nossos atos de hoje vão ter consequências no futuro?
Os grandes futuristas, cientistas e personalidades de referência mundial respondem-nos, permitindo delinear os vários caminhos que se oferecem à Humanidade.

EPISÓDIO 1 - MUTAÇÃO
INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL – NANOTECNOLOGIA – FUSÃO HOMEM/MÁQUINA – GENÉTICA

Estamos no ponto de partida de uma mudança tecnológica exponencial. Nas próximas décadas viveremos a desmaterialização da tecnologia. Os computadores abandonarão as secretárias para se instalar nos olhos, nas paredes e em tudo o que nos rodeia. Os chips estarão integrados em praticamente tudo à nossa volta, transmitindo informação vital. A qualidade e a esperança média de vida aumentarão espantosamente e o envelhecimento será retardado. Teremos capacidade de escolher genes para os nossos filhos e criar novas formas de vida.
Em 2007, um smartphone tinha mais potência do que os computadores da NASA que levaram o homem à Lua em 1969. Em 2077 é provável que controlaremos os objetos à nossa volta através do pensamento. É unânime a opinião de que a revolução em curso é a maior e mais rápida de todas, com a interceção da genética, da nanotecnologia e da inteligência artificial. As consequências são inúmeras e transversais, com grande impacto na saúde.
No entanto, a ascensão da máquina lança desafios sem precedentes, até a possibilidade de extinção da própria Humanidade.

EPISÓDIO 2 - ESTRANHAMENTO GLOBAL
ESPAÇO – EXPLORAÇÃO RECURSOS NATURAIS – POLUIÇÃO – ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS

100 anos depois do  Homem ter pisado a Lua, é provável que esteja em condições de colonizar Marte. Caminhamos para a criação de uma civilização planetária naquela que será a maior transição da história da Humanidade. Espera-nos um admirável mundo novo. E uma corrida de velocidade para reverter o envenenamento do planeta Terra. Usámos os combustíveis fósseis para dar o grande salto da revolução industrial e enchemos a atmosfera de dióxido carbono, de forma explosiva, nos séculos XX e XXI.
Mesmo que hoje parássemos completamente de enviar dióxido de carbono para a atmosfera, a quantidade que já foi libertada é tal que é suficiente para provocar o aquecimento global durante décadas, tal como um pulmão que é sujeito à ação do tabaco durante anos. Quão estranho irá o clima ficar depende das medidas que tomarmos hoje.
Dois graus a mais é tolerável. Dez graus a mais terá consequências dramáticas e imprevisíveis, tendo como certa a impossibilidade de viver em muitos territórios hoje habitados e a deslocalização de cidades junto à costa.

EPISÓDIO 3 - NOVOS NÓMADAS
ENERGIA – SUSTENTABILIDADE – MIGRAÇÕES – NOVA ORDEM GLOBAL – GUERRA

Em 2077 seremos mais 3 mil milhões de pessoas. Por um lado temos possibilidades tecnológicas como nunca à nossa disposição. Por outro temos a pressão do crescimento demográfico e as ameaças da escassez dos recursos, da poluição e das alterações climáticas. Como podemos satisfazer as necessidades energéticas e alimentares de uma forma sustentável, sem pôr em risco a permanência neste planeta?
Dez mil anos depois de se ter sedentarizado, o Homem será obrigado em muitos pontos do globo a regressar a um novo nomadismo, conduzindo ao maior movimento migratório da História. Uma nova ordem global irá emergir.
Em 2077, poderão ser mais de 20 as potências nucleares, quase todas situadas em zonas de grande instabilidade política. Não está fora da equação a possibilidade de uma nova guerra mundial, no Espaço. Na era da nanotecnologia e das armas perigosamente minúsculas, a grande política será cada vez mais relevante.

EPISÓDIO 4 - UMA SEDE INSACIÁVEL
HUMANIDADE VS. TECNOLOGIA – VALORES – ARTE – EDUCAÇÃO – ANSEIOS

No futuro, estará o ser humano no topo da tecnologia, usando-a para resolver os grandes problemas da Humanidade? Será a tecnologia que vai trazer mais liberdade para poder dedicar ao exercício dos valores mais elevados do ser humano?
Que vontade é esta de aniquilar o próximo, que parece não ter evoluído desde a origem do Homem moderno, há mais de 100 mil anos, apesar dos valores médios do coeficiente de inteligência aumentarem consistentemente década a década? Abandonámos as cavernas. Inventámos a roda, a locomoção a vapor, a eletricidade, a internet. Construímos automóveis, aviões, foguetões. Lançámo-nos no Espaço. Criámos os mercados, a medicina, o armamento. Recriámos vida… Mas com uma insatisfação absoluta e permanente e uma vontade de alcançar sempre mais.
Até o poder de Deus. Onde queremos chegar e como? Porque tem o ser humano uma sede insaciável?